Desabafo #9: mar de vida! | Langai

Desabafo #9: mar de vida!

Publicado: 28/09/2020




_

O mar significa para mim, antes de tudo, renascimento. Após ter vivido uma relação abusiva, consegui me libertar quando afirmei a mim mesma que eu não queria e não precisava passar por tudo aquilo pelo resto da minha vida e que meu filho não merecia crescer num ambiente de discórdia, de humilhação e de desrespeito. 


Muitas mulheres passaram e passam pelo que vivi. Os números nessa pandemia apenas mostram o quanto a humanidade ainda precisa evoluir no respeito às mulheres. A situação, todavia, torna-se insustentável quando ofensas morais minam nossa autoestima e tiram nossa paz. Foi o meu caso.


Decidi, em janeiro de 2018, dar uma basta em tudo isso e mesmo tendo a certeza de que era a decisão correta a ser tomada, o sofrimento foi inevitável. Precisava me recompor e catar meus caquinhos. O apoio da minha mãe e das minhas irmãs foi essencial. Tive a sorte de ter uma mulher maravilhosa como mãe, que me ensinou o valor do respeito, antes de tudo, e que me ensinou que o mais importante na vida é sermos felizes e estarmos ao lado de quem verdadeiramente nos respeita. 


Perdida, precisava encontrar um apoio, uma terapia, uma saída para meu estado emocional naquele momento. Minha irmã disse: “Thaís, a vida é cheia de possibilidades.” Foi quando lembrei das duas aulas de surfe que tive em 2014, um pouco antes de descobrir que estava esperando meu filho. Então, decidi, em 2018, aprender a surfar aos 39 anos, mãe de um lindo menino de 2 anos. 


O surfe e o mar me salvaram e ressignificaram a minha vida. No processo de redescoberta e de autovalorização, eles estiveram do meu lado, mostrando que, de fato, a vida é cheia de possibilidades. 


O mar para mim é um ser maior, um grande mestre e amigo. A energia e sabedoria que transmite, assim como o respeito com que se impõe, ao mesmo tempo que acolhe e acalma. São traços desse ser que ocupa a maior parte do nosso planeta, nosso lindo planeta Oceanus! 


Sinto-me profundamente agradecida por conseguir viver perto do mar e a cada encontro que tenho com ele recebo um presente. Nos dias de calmaria ou nos dias agitados, há sempre ensinamentos a serem auferidos desta dádiva que é o mar. A paciência, a persistência, a coragem, o respeito, a autoestima. Toda ansiedade se esvai aos poucos ao se adentrar em sua imensidão. A paz se faz presente e não há quem não saia dele carregado de boas vibrações e agradecido por poder estar em suas águas.


O surfe me trouxe o presente de estar sempre no mar, neste ser superior. O surfe também me trouxe amigos e pessoas maravilhosas às quais admiro e estimo. Trouxe-me, ainda, exemplos de vida e também me mostrou que o mundo é imenso e está aberto a nos receber. Basta mudarmos o caminho torto, o passo contido e escolhermos o atalho correto, o pensamento que eleva, sabendo enxergar e agradecer cada oportunidade que o universo coloca em nossas vidas todos os dias.


Por isso, o mais importante de toda essa nova jornada de aprendizado do surfe não é simplesmente a evolução num esporte novo, mas são os encontros que a vida me proporciona a cada momento, com o mar, com a natureza, com as pessoas, comigo mesma. 


Gratidão ao mar, ao surfe, ao universo, a Deus, à minha família e a todos os amigos que o mar e o surfe me trouxeram!!!


“Que nada nos limite, que nada nos defina, que nada nos sujeite. Que a liberdade seja nossa própria substância.” (Simone de Beauvoir).  


Beijos e boas ondas,

Thaís Freire


_

Você sabia que nós somos um blog colaborativo? Nossa missão é inspirar mulheres a surfar e um dos passos nesse caminho é dar voz as próprias mulheres. Uma seguidora da @langaibr enviou esse texto pra gente por livre e espontânea vontade, se você também quiser compartilhar um desabafo ou conhecimento que seja útil pra mulherada surfista, é só chegar: luiza@langai.com.br

Voltar
Feito por mulheres

Vem com a gente!

Quer ficar por dentro de tudo que acontece por aqui e ainda receber descontos exclusivos?