Guia de Surftrip: El Salvador

22/01/2020



  • A melhor surftrip internacional da vida! Seja sozinha, acompanhada, numa barca de meninas, o importante é ir pra lá. Água quente, ondas constantes, point breaks incríveis e direitas perfeitas.

    Recentemente fiz minha primeira surftrip internacional. Eu e meu namorado ficamos 20 dias viajando. Posso garantir, pegamos altas ondas! Vou contar um pouco de como foi a viagem, dar algumas dicas e espero que possa te ajudar com algumas informações que eu gostaria que tivessem me dado antes de ir.

    El Salvador é um destino maravilhoso pra quem já tem uma base legal no surf, para as iniciantes, o ideal é ir acompanhada ou partir numa barca de meninas -se joga que você vai pegar as ondas da vida. 


    _água quente, ondas constantes, point breaks incríveis e direitas perfeitas.


    Parece sonho né? Com certeza um dos melhores destinos para quem pratica esse esporte.


    _saindo do brasil:
    O mês escolhido foi agosto, vimos que esse período teria ondas constantes por ser outono, temperatura amena de noite e quente de dia, com possibilidade de períodos de chuva, mas com swell garantido! Fomos pela Avianca, gastamos nas passagens uns R$1995,00 cada, ida e volta com escala em Bogotá. Além disso, tivemos que desembolsar $50 por sarcófago, levamos 4 pranchas sendo 2 em cada sarcófago.

    No meu caso, levei uma pranchinha 5'9 round tail -com opção de usar triquilha, quadriquilha ou biquilha- uma prancha que tenho segurança pois já surfo com ela há um tempo, e uma fish 5'7 biquilha, mais solta, aquele xodózinho para um mar mais liso e para garantir a diversão naqueles dias menores.


    _chegando em el salvador:
    Nossa viagem de ida levou 6h até Bogotá, saindo de Guarulhos-SP. Depois, tivemos uma espera de 4h para dar uma esticada e 3h de viagem até San Salvador, capital de El Salvador. Já tínhamos reservado a primeira noite no Hostel Los Almendros, localizado em El Sunzal e também o transfer do aeroporto até a pousada.


    _el sunzal:
    Foram mais 1h30 de carro até chegarmos no nosso tão esperado destino. Gastamos $45/casal pelo transfer -dá pra conseguir mais barato, como não negociamos nem nada, o valor pago foi esse mesmo. O povo salvadorenho é super solícito, as pessoas são alegres e estão sempre com um sorriso no rosto prontas para te ajudar. Ficamos apenas 1 noite lá, optamos por passar os próximos dias em Sunzal Reef, que fica bem de frente pro pico. A vista dos quartos é de frente para o mar, então você consegue passar o dia dando aquele check e cair nos melhores momentos do dia.
    .

  • _a onda em Sunzal é uma direita bem cheia, perfeita pra quem surfa de pranchão e ótima pra quem quer treinar as linhas e movimentos de pranchinha.


    Como quase todos os picos em El Salvador, Sunzal é point break, pegamos de 1m até 1,5m, mar liso e constante. As ondas quebram bem no fundo, então a remada precisa estar em dia. Nessa época do ano a praia é coberta por pedras, não existe quase faixa de areia por lá. Pra entrar no mar é tranquilo, a remada até o pico leva uns 7 minutos pelo canal, só ir apreciando o visual e você chega sem molhar o cabelo.

    Lá quebra maior do que os outros picos próximos, o segredo é acordar bem cedo! Acordávamos todos os dias às 4h30am, e estávamos na água às 5h30am. Como queríamos entrar bem cedo no mar, tomávamos café da manhã no próprio quarto mesmo.
    .

  • Aproveitamos para ir ao Super (que são supermercados grandes) pra fazer uma compra bem servida. Pegamos um ônibus na avenida principal mesmo, o valor da passagem foi de $0,25/pessoa, bem baratinho. Experiência interessante: os ônibus antigos, enfeitados, a música bem alta e animada tornam o passeio único! O Super que fomos foi o Selectos, as marcas são praticamente as mesmas que temos aqui, só que com outros nomes. Saiu bem mais barato do que comprar nos mercadinhos menores ali perto da pousada, o total do trajeto ida e volta deve ter dado no máximo 1h.
    .

  • Da nossa pousada até El Tunco, onde ficam os restaurantes, lojinhas e bares, dava uns 10min andando pelas pedras beirando a praia, super fácil de ir, só precisa acompanhar a maré pra não pegar a maré tão cheia, pois tem que atravessar um rio que desemboca no mar. Para quem quer curtir um agito, as noites de lá são animadas e os bares cheios de turistas.
    .

  • Os restaurantes são simples, porém ótimos, comemos muito bem por lá, normalmente fazíamos uma refeição caprichada por dia e um lanche no quarto mesmo. Os pratos são bem servidos, existem os famosos PF's e nossas refeições não passavam de $14. Meu lugar preferido foi o Dale Dale Café, lugarzinho charmoso com ótimas opções saudáveis e muitos smoothies. Super recomendo!
    .

  • Outra opção que gostamos bastante foi o Taco's Surf, que foi o melhor custo benefício porque realmente vinha bastante comida, um prato dava para dividir em 2 pessoas tranquilo. Ah, se precisar consertar ou fazer qualquer tipo de remendo nas pranchas, ali na rua principal é só procurar pelo Samuel.


    _la bocana:
    Ali em El Tunco, quebra uma onda maneiríssima, uma esquerda rara em El Salvador, La Bocana. Que onda! Pra mim, que sou goofy, foi um sonho realizado. A onda quebra próxima ao rio, pra entrar precisa tomar cuidado para desviar das pedras, mas no geral é tranquilo. O bom de El Salvador é que sempre tem um canal muito bem marcado que te ajuda a entrar com tranquilidade apesar das pedras e correntezas. Lá a melhor maré pra fazer a queda é a maré média, dá pra enxergar aonde estão as pedras maiores e ir desviando delas. A onda tem força, bem armada no pico e abre um baita esquerdão!


    _uma das melhores ondas que já surfei na vida! Quando descobri La Bocana só queria surfar lá, rs. 

    .

  • Desde antes de ir pra El Salvador, já tínhamos pegado algumas dicas importantes que facilitaram nossa vida, uma delas foi a indicação de um Hostel chamado Vaquero Surf Lodge, fica em El Tunco, ótima localização, fácil acesso para La Bocana e Sunzal. É uma casa com piscina, quartos com ar condicionado, cozinha compartilhada e, o melhor de tudo: o dono do lugar é um surfista fissurado! Vaquero, como é conhecido na região, leva seus hóspedes para os melhores picos de surf e ainda oferece serviço de fotos -o fotógrafo, super gente boa, também é outro surfista fissurado. Para quem se hospeda lá na casa, o pacote de passeio com fotos sai por $15, vale muito a pena! Como não ficamos hospedados lá, pagamos $35, mas dá pra negociar e pagar menos. Mesmo assim compensou muito porque fomos praticamente todos os dias para os melhores picos e com fotos garantidas. 


    _punta roca:
    Punta Roca, 20 min de carro de El Tunco, pico mais famoso entre os locais, a onda é perfeita. Num dia bom a onda abre e corre muito, com direito a tubos. Um cenário exótico, localizada ao lado de um cemitério, Punta Roca é belíssima, só é chatinho de entrar e sair do mar, confesso, a onda bate forte nas pedras bem no rasinho, deixando tudo escorregadio e difícil de se equilibrar. Não fiquei no pico porque o crowd estava insano, fiquei um pouco mais no inside, o que compensou muito, porque era onde não tinha muita gente e pude pegar todas as ondas que sobravam, rs!
    .


  • _lá o drop é bem rápido e a onda corre bastante, pra quem já manda bem no surf é o lugar ideal.


    O surf precisa estar em dia, um vacilo e você pode ganhar alguns arranhões. Precisa tomar muito cuidado pra não ser jogado contra as pedras, por isso indico só pra quem já tem um nível de surf intermediário a avançado.


    _km 59 e 61:
    Logo depois de El Zonte, uns 30min de El Tunco, dois picos de direitas famosas. Não surfamos lá, infelizmente. Não demos sorte com as marés, precisava ir de carro da onde estávamos e preferimos curtir Punta Roca e La Bocana nos melhores dias. Hoje me arrependo de não ter feito nenhuma queda por lá, mesmo com o mar ruim, o mar é bom, saca? Então minha dica é: não deixe passar! O mais importante é a diversão.
    .


  • _aproximadamente 1h30 de El Tunco, fica Mizata, uma praia menor, com um visual de tirar o fôlego. Um dos lugares mais lindos que surfamos por lá.

    .


  • _mizata:
    Um rochedo imenso de cara para o mar, Mizata costuma quebrar um pouco maior quando está pequeno em outros lugares, vale acompanhar a previsão e fazer esse bate volta. Caímos num mar mexido, difícil, com ondas de 1 metrão e mesmo assim valeu cada caldo que tomei. A onda tem bastante força, precisa tomar cuidado com as pedras, não dá pra se empolgar e querer finalizar a onda no raso. Foi lá que ganhei meu primeiro arranhão no pé. Ossos do ofício, né?


    _Las Flores e Punta Mango ficam no lado leste selvagem, região mais remota no meio de uma natureza densa e maravilhosa, 3h30 de carro de El Tunco, estávamos mega ansiosos pra ir pra lá.


    Ficamos acompanhando o swell e quando vimos que ia entrar onda, partimos nessa trip, mais uma vez com o Vaquero nos acompanhando. Além de ser ótima companhia, ele entra com você no mar e te dá todas as dicas importantes, desde posicionamento até correções de manobras. Quer coisa melhor que isso? Ele faz o papel de coach te dando vários conselhos, pra mim foi muito importante ele estar no mar comigo pois ganhei confiança e pude aproveitar ao máximo os melhores picos respeitando meu nível de surf.
    .

  • _las flores:
    Nos hospedamos no Atlakamani Surfing Resort, 2min da praia andando, o preço é um pouco mais salgado, mas os outros lugares estavam lotados. Ali na beira da praia existem acomodações bem simples, bem simples mesmo, pra quem não liga muito para conforto, você consegue uma suíte com ventilador por $10/diária.

    Bom, Las Flores é uma praia linda, com um nascer do sol sem igual, fácil de entrar pelo canal margeando as pedras, mais parecido com os picos do litoral norte paulista, bastante areia e praia plana.
    .

  • O pico fica mais no fundo, bem próximo de algumas pedras, a onda é tranquila, mas o crowd é intenso. Precisa ter paciência, como Las Flores é um lugar mais afastado, quando entra um swell a maioria dos surfistas migram pra lá. A espera vale a pena.


    _essa é aquela onda longa que dá pra fazer várias manobras até cansar as pernas e voltar remando para o outside com o sorriso de orelha a orelha.


    Os melhores momentos foram logo após o almoço para final de tarde, quando a maré estava mais cheia proporcionando um surf clássico e divertido com ondas de 1m a 1,5m. 


    _punta mango:
    Punta Mango, disparado o lugar mais lindo de El Salvador. Pra chegar lá existem 2 jeitos: de carro ou de barco. De barco saindo de Las Flores é a maneira mais rápida de chegar, melhor horário é bem cedinho, com o sol nascendo.


    _lá rolam altos tubos, a onda é bem cavada e rápida e termina quase em cima das pedras.


    Lindo de se ver, ali meu surf não deu, fiquei com medo, e se tem uma coisa que aprendi nesses anos de surf é que precisamos respeitar nossos limites. As ondas estavam quebrando com 2m, tubos daqueles de filmes de surf mesmo, de arrepiar! Só fera na água, ondas perfeitas. Punta Mango foi a onda preferida do meu namorado nessa trip! Pra quem tem mais intimidade com o surf, Punta Mango em dias maiores é surreal, mal consigo descrever. 


    _El Salvador é o paraíso de qualquer surfista.


    Uma viagem relativamente barata e perto do Brasil, digo isso pelo custo-benefício. Nesses 20 dias de viagem gastamos cada um aproximadamente R$6000, fora as passagens. Se optar por ficar em pousadas mais baratas, fazendo a própria comida e gastando apenas com o necessário, dá pra gastar tranquilo uns R$5000, ou menos, em 20 dias de trip. Não se esqueça de levar um pen drive para salvar as milhares de fotos que você vai querer comprar, rs! Eu esqueci e paguei $18.

    Lá, a cultura local respira surf, qualquer pico que você for surfar pode ter certeza que terá um fotógrafo registrando suas ondas. Conseguimos fotos de fora da água, de dentro da água, de drone, filmagens, de vários ângulos, então reserve um dinheiro para as fotos! Uma dica legal é levar "regalos", lembrancinhas/presentes, coisas simples como havainas, camisetas de times de futebol, acessórios de surf, é muito comum trocar "regalos" por fotos!

    Além do surf, rolam também cachoeiras na região de Tamanique, bem fácil ir de ônibus, a melhor forma de ir pra lá é com um guia local.
    .

  • Ah, quase me esqueci! Se você for pra El Salvador, não pode ir embora sem experimentar as famosas pupusas: tortilhas de milho servidas como acompanhamento em quase todas as refeições locais. Lembrando que a moeda local de El Salvador é o dólar americano! Destino obrigatório para todo surfista! Tá esperando o que? Começa a juntar as economias e partiu El Salvador!  

    Beijos e boas ondas,
    Erica


     
    Leia também: Guia de Surftrip: Uruguai

Compartilhe

Comentários

Este site utiliza tecnologias como cookies para melhorar sua experiência de acordo com nossa política de privacidade. Ao permanecer navegando, você concorda com estas condições.

Estamos ocupados atualizando nossa loja para você e voltaremos logo.

Whatsapp