14 indicações de filmes de surf clássico

26/08/2021



  • Um clássico é um clássico!

    Sabe aquele estilo que nunca sai de moda? Por mais simples que possa parecer, um simples bem feito se transforma no famoso "naturalmente elegante", autêntico e estiloso.

    Mas pera aí, estamos falando de surfe ou de moda?

    Estamos falando de estilo, mais precisamente de estilo no surfe. O estilo clássico não morreu, chamado por alguns de "antiquado", por outros de "surfe raíz" ou até mesmo "alternativo", eu gosto de chamar de surfe diversão. Porque clássico mesmo é você se divertir, não é mesmo?

    Clichê? Batido? Mas é a pura verdade, a essência vem daí, o melhor do surfe clássico, e ninguém pode negar, tem tudo a ver com aquela famosa frase "o melhor surfista é o que mais se diverte", afinal de contas, esse estilo traz muita leveza, tanto em seus movimentos como pra alma. Já ouviu falar naquele ditado: prancha pesada, surfe leve?

    Pois é, aquele surfe mais suave, de linha e cheio de estilo que começou lá nas antigas mesmo, monoquilha, biquilha, longboard, log, alaia... está mais vivo do que nunca e eu posso provar.

    Pega essa listinha de filmes que trazem o surfe clássico de forma original e de encher os olhos:


    _The Seedling (1999) + Sprout (2004) + The Present (2009)
    Thomas Campbell, artista plástico, skatista, fotógrafo e cinegrafista, traz à tona o renascimento e a busca por shapes clássicos criando uma identidade estética que guia gerações desde 1999 com seu primeiro filme chamado The Seedling. Em 2004 lança seu segundo filme, Sprout, e em 2009 lança The Present, que traz grandes surfistas como Dave Rastovich, Dane Reynolds, Joel Tudor, Kassia Meador, Sofia Mulanovich, Rob Machado entre muitos outros. Tire um tempinho para maratonar essa trilogia se você é fã de um clássico, de surfe clássico. Disponível no Youtube.


    _Bruce Gold: The Last of the Great Surfing Hippies (2016)
    Curta metragem conta a história verídica de Bruce Gold, um surfista hippie, super simpático, que vive em Jeffreys Bay há 50 anos dedicando toda sua vida à apenas surfar. Esse curta traz um sentimento de liberdade indescritível. A música principal do filme é daquelas que você quer ouvir mil vezes, então já coloca lá na sua playlist: Halasan Bazar - Mountaintops. Disponível no Vimeo.


    _Spoons: A Santa Barbara Story (2019)
    De Santa Bárbara à Austrália, este filme conta com um compilado de filmagens inéditas, diretamente dos anos dourados do surfe. Mostra bem como o design das pranchas evoluíram para os dias de hoje e como Santa Barbara sempre foi importante na cena do surfe. Disponível no Vimeo e Apple TV.


    _Torren Martyn: Lost Track New Zealand (2020)
    De longe um dos meus surfistas favoritos na vida, o australiano Torren Martyn embarca numa viagem para a Nova Zelândia em uma aventura épica que nos faz refletir que embora a vida seja feita de altos e baixos, o surfe sempre será uma conexão profunda com a natureza e o oceano. Esse filme é um daqueles que você assiste e já quer sair correndo para surfar ou viajar em busca de ondas perfeitas. Uma aventura de moto por três meses com o filmmaker Ishka Folkwell e muito surfe em ondas sur-re-ais. Trilha sonora incrível e fotografia de tirar o fôlego. Disponível no Youtube e Vimeo.


    _Gathering (2015)
    O australiano Dave Rastovich, free surfer e defensor de causas ambientais e animais, mostra sua visão sobre o avanço da industrialização na sociedade e a fuga que a liberdade do surfe pode propiciar, celebrando a diversidade e a diferença nos ecossistemas, exaltando a preciosa relação surfe e vida. O filme se passa no norte de New South Wales, sua terra natal. Nem preciso falar sobre o estilo que esse cara tem surfando né? Assiste lá! Disponível no Vimeo.


    _Fish: The Surfboard Documentary (2019)
    As adeptas e amantes de fish piram! Esse filme mostra o impacto que esse estilo de prancha causou na cultura do surfe para sempre. Atualmente, a fish é um dos modelos clássicos mais hypados, surfistas como Rob Machado e Dave Rastovich foram uns dos responsáveis por esse estilo de prancha ganhar tanta visibilidade hoje em dia. Depois de assistir esse filme você vai querer uma fish com certeza! Disponível no Vimeo.


    _The Heart & The Sea (2012)
    Terceiro filme do cineasta independente Nathan Oldfield explora as principais relações na vida: família, amigos e o surfe. Conta com um elenco top de surfistas da cena: Dave Rastovich, Alex Knost, Ryan Burch, Kassia Meador, Johnny Abegg e Chris Del Moro. Já coloca esse filme na sua listinha de prioridades! Nathan Oldfield é o mesmo diretor do filme Gathering, vale pesquisar sobre a história desse cara (#fica a dica). E, pra quem curtir, Lines From a Poem e Seaworthy são filmes dele também. Disponível no Vimeo.


    _Alternativa (2018)
    Kassia Meador, Leah Dawson e Lola Mignot, mulheres e surfistas incríveis mostram sua relação com o surfe em uma viagem para El Salvador. Pra quem já conhece o surfe delas, nesse filme elas trazem à tona sua paixão por diferentes tipos de pranchas e a busca pessoal delas por uma cultura do surfe que valorize mais as mulheres. Super inspirador, elas compartilham a visão delas como mulheres e líderes na cena. Disponível no Globoplay e Vimeo.

    "Estamos em um momento muito poderoso da história, há muito tempo que sinto que a história das mulheres foi um pouco mal orientada pelos homens que dirigem a indústria do surf. Sinto que tenho o dever de nutrir nossa cultura porque a amo muito. Porque me deu tanta felicidade e oportunidade ao longo da minha vida que me sinto como uma mãe. Quero ser a mãe da nossa cultura do surf, porque precisamos do máximo de mães que pudermos". - Leah Dawson


    _Sambarama (2018)
    Sambarama, de Fellipe Ditadi, referência do "Brazilian Classic Surf", é um dos primeiros filmes da cultura log no Brasil. O filme retrata todo o swing brasileiro no surfe clássico. Conta com surfistas expressivos na cena brasileira como Caio Teixeira, Roger Barros e Alexandre Wolthers em ondas do Rio e São Paulo. A trilha sonora é demais e o curta já tem até continuação, Sambarama 2 e Sambarama 3. Disponível no site da Small Riders, Globoplay, Vimeo e Apple TV.


    _N RYTHMO (2019)
    Michael February, surfista sul-africano, tem aquele surfe versátil e faz parecer fácil surfar qualquer tipo de onda. Nesse curta, filmado em uma pequena vila de pescadores, a trilha sonora divide a atenção pela sonoridade e alegria da música africana com o surfe estiloso de Michael numa ondinha perfeita e longa. Disponível no Vimeo.


    _Voyager (2018)
    Andrew Serrano, além de mandar bem em manobras aéreas e progressivas é dono de um estilo polido, cheio de fluidez e estilo em linhas mais clássicas, seja em monoquilhas, biquilhas e até mesmo alaias. Nem aí para rótulos, o que realmente importa para ele é a essência do surfe. Nesse curta, o brasileiro viaja para a Indonésia para descobrir que a maior viagem a ser feita é a descoberta de si mesmo. Traz também uma trilha sonora daquelas de ouvir em looping no carro enquanto viaja sabe? Disponível no Vimeo.


    _Oceantree: The Journey of Essence (2018)
    Kenta Ishikawa, surfista japonês, se aprofunda em seus conhecimentos numa viagem entre Austrália e Japão, explorando a origem do surfe com uma alaia, prancha de madeira fabricada manualmente. O filme traz uma mensagem belíssima de respeito e gratidão pelo oceano, onde há muitas formas de surfar, mas o essencial está em compartilhar as ondas. Nem competição nem a melhor performance, mas sim a diversão, que está acima de tudo. Disponível no Vimeo.

    O clássico tá "voando"! Quer dizer, deixa o "voando" para o surfe progressivo mesmo. O clássico tá on!

    Brincadeiras a parte, espero que você se encante tanto quanto eu. Enquanto o surfe progressivo ganha força com o surfe competitivo trazendo grandes nomes do "Braziliam Storm" com uma pegada forte e aéreos cada vez mais alucinantes, o surfe clássico vem ressurgindo na cena desde a década passada num movimento de releitura dos anos dourados nos maiores polos de surfe do mundo, principalmente na Califórnia, trazendo a simplicidade e provando que o "menos é mais". Pra mim não tem essa de rixa "clássico x progressivo", surfe é surfe. Estilo, cada um tem o seu. O importante mesmo é a diversão, e isso o surfe clássico tem de sobra.

    Contem pra gente o que acharam dos filmes e sintam-se a vontade para indicar mais. Porque nesse caso, o "menos é mais" não se aplica. Aqui, quanto mais dicas, melhor!

    Para todas as surfistas de alma, até a próxima!

    Beijos e boas ondas,
    Érica


     
    Leia também: Os 20 filmes de surf mais famosos

     

Compartilhe

Comentários

Este site utiliza tecnologias como cookies para melhorar sua experiência de acordo com nossa política de privacidade. Ao permanecer navegando, você concorda com estas condições.

Estamos ocupados atualizando nossa loja para você e voltaremos logo.

Whatsapp