Surftrip: Costa Rica

15/11/2021
  •  

     

     

    Sobre minas, mares e protagonismo na vida.

     

    Foi em um momento de redescoberta de mim mesma que resolvi comprar uma passagem e embarcar para uma surftrip só com mulheres na Costa Rica. Esse é um tipo de viagem já comum entre as entusiastas do esporte, porém era inédita pra mim. Não por se tratar de uma surftrip, já havia viajado com o namorado pra surfar no Peru, mas sim pela ideia de fazer algo inteiro e unicamente para mim.

    .

  • Pré-surf em Playa Avellana | Foto: @moanafilmes

     

    Cresci em um contexto em que muito cedo tive que aprender a "fazer o corre" para conquistar as coisas, como dizem por aí "ser alguém na vida" (seja lá o que isso signifique). "Orgulho da família", com 36 anos eu já podia dizer que havia construído uma carreira, um relacionamento duradouro, comprado uma casa... Ou seja, o pacote da filha perfeita.

     

    _Mas, nesse caminho, se formou um enorme buraco dentro de mim, e passei a sentir que todo o "corre" havia sido para e pelos outros e não necessariamente por mim.

     

    Após muitos momentos de crise, choro, insônia, ansiedade, terapia, terapia e mais terapia, resolvi comprar a viagem! Desde o início da pandemia, já tinha abandonado uma rotina estressante e infeliz em uma megalópole para viver descalça no meio da natureza. Relembrar como viver é bom, perto das águas, fez uma luz começar a clarear dentro de mim.

 Após ansiosos 12 meses, cheguei à terra da PURAVIDA, junto a outras oito mulheres desconhecidas e que dia após dia foram se revelando incríveis. 

    .

  • Mulherada da BBQ em Playa Avellana | Foto: @moanafilmes

      

    Juntas, descobrimos a tal da sororidade, o surfe nos unia e o mar era o nosso parque diário de diversões. Nos apoiamos, vibramos a cada drop e acompanhamos uma a outra em nossas danças nas águas. Subidas, descidas, quedas e uma conexão inexplicável. Cada uma dividiu comigo o que a levou até ali, revelações potentes que me fizeram repensar a minha própria jornada e todas as escolhas que a construíram.

    .

  • Surfista: Ju Okuda | Foto: @moanafilmes

     

    Quando voltei, me dei conta de que já não era a mesma. Percebi que se as minhas escolhas me levaram a esta viagem, poderiam me levar para onde eu quisesse. Apesar do vento e das condições do clima, o mar proporciona milhões de ondas o tempo todo, e não, eu não preciso e nem consigo remar em todas, mas sou EU quem decido qual delas será a pista da minha dança única.

    .

  • Arte por @isabela.cury

     

    Beijos e boas ondas,

    Ju

     

     

     


    Leia também: Reciclagem e surf: o que fazer com a minha prancha velha?


     

Compartilhe

Comentários

Este site utiliza tecnologias como cookies para melhorar sua experiência de acordo com nossa política de privacidade. Ao permanecer navegando, você concorda com estas condições.

Estamos ocupados atualizando nossa loja para você e voltaremos logo.

Whatsapp