Tipos de onda pro surf e como elas se formam | Langai

Tipos de onda pro surf e como elas se formam

Publicado: 12/05/2020

Tipos de onda pro surf e como elas se formam

Evelin Neves por Felipe Ditadi


Vamos entender como e porque as ondas se formam e quais os tipos de ondas são formadas? Até porque sem onda fica difícil surfar, né?



_

Vamos falar de um assunto bem popular entre surfistas: ondas! Existem diferentes tipos de ondas, cada uma delas tem características específicas e que vão proporcionar também diferentes tipos de surf que exigem diferentes habilidades pra que a gente consiga pegá-las. 

Para definir essas caraterísticas, temos que levar em conta variáveis como o tipo de fundo, a profundidade do local e a intensidade do vento. Dessa forma conseguimos definir o formato, tamanho e velocidade de cada onda, respectivamente. 

Mas antes de falar dos tipos de ondas é importante entendermos como as ondas são formadas e quais fatores influenciam na sua formação.


_como as ondas são formadas?


As ondas do mar existem porque, em algum lugar, alguma coisa empurrou a água. Mas geralmente, o processo de formação das ondas do mar começa bem longe da praia e começa a partir do sopro do vento na superfície do mar. O vento bate na água, transferindo energia pra ela, formando pequenas ondulações (entre 1 e 2 cm). À medida que o vento continua soprando, essas ondulações crescem aumentando tamanho, comprimento e velocidade. 


Tipos de onda pro surf e como elas se formam


_Quanto mais veloz e durável for o vento, maior será a altura da onda.

_Se a ondulação formada ainda for pequena e o vento parar de soprar, as ondas somem com ele.

_E se o vento continuar, essa ondulação vai ficando mais alta, mais comprida e mais rápida até formar as ondas que conhecemos.


E ainda, mesmo se o vento parar, a onda continua se propagando, podendo viajar por quilômetros, até chegar na areia. Pra isso acontecer, o vento precisa soprar por um tempo e percorrer uma longa distância na superfície, que é chamada de pista. Por esse motivo, em uma lagoa, não existem ondas grandes como no mar, por exemplo, pois não há pista suficiente para que elas aumentem.

Como regra geral, quanto maior a intensidade do vento, maior será a onda. Quando chegam próximas a costa, com a profundidade reduzida, ocorre um choque da crista da onda com o fundo e ela começa a quebrar.

Outro ponto fundamental na formação das ondas é o tipo de fundo. Eles que definem as características da onda, como ponto de quebra. Calma, vamos chegar lá! Pra isso, vamos aprender agorinha quais são as partes da onda.


_partes da onda

A onda é composta basicamente por três partes:

_a crista (ou “lip”): parte mais alta da onda

_o cavado (ou base): base da estrutura que sustenta a onda

_e a área de rebentação: como o próprio nome já diz, é onde a onda, geralmente, se quebra (e quando geralmente o surf entra em ação!) 


Tipos de onda pro surf e como elas se formam


A gente ainda pode citar aqui a parede, que é basicamente a parte da onda que fica em pé, como uma parede mesmo, geralmente quando são formados os tubos. É muito comum o drop começar na crista, descer pela parede (em ondas grandes ou tubulares) e terminar na base, onde nos posicionamos pra começar a fazer as manobras.


_por que e como a onda quebra?


Elas se quebram devido à diminuição da profundidade. À medida que a onda vai percorrendo a superfície do mar em direção à costa, a crista vai ficando cada vez mais alta e o cavado cada vez mais perto da areia. É nessa área que a profundidade da água diminui a ponto de ter quase a mesma altura da onda (então pela altura de uma onda sabemos qual é a profundidade da água). Nesse momento, o cavado começa a entrar em atrito com a areia e freia a ondulação. Como resultado a crista não se sustenta mais e perde o equilíbrio, inclinando pra frente e quebra por cima do cavado até cair. 

Por isso geralmente não vemos onda em alto mar, pois a profundidade é grande o suficiente para que esse atrito não aconteça e a onda não quebre. E quando você olha para o alto-mar e vê ondas se quebrando, pode ter certeza que ali tem um banco de areia, ou um recife de coral. E é claro que, perto da praia, elas também vão se quebrar.


_tá, mas e o formato da onda?


Quando a onda chega próxima da costa e no momento de quebrar, ela pode quebrar de várias formas. E isso vai depender principalmente do tipo de fundo do local. A formas de ondas mais conhecidas são: deslizante e mergulhante. 

A quebra deslizante acontece em praias rasas e pouco inclinadas, o que faz com que a onda vá quebrando gradativa e suavemente, antes mesmo de chegar mais perto da costa. São as famosas ondas cheias e gordinhas ou a famosa marola como a gente gosta de chamar. Esse tipo de onda é ótimo pra um surf mais descontraído e divertido, principalmente para iniciantes, pois são mais fáceis de pegar e não correr o risco de tomar um caldo! 

Um dos principais fatores que colaboram para esse tipo de onda, além do tipo do fundo do mar, é o vento maral, que vêm do mar em direção à terra.


Tipos de onda pro surf e como elas se formam

Renata Diehl por Felipe Dittadi


Já na quebra mergulhante, ou quando as ondas quebram mergulhando, são formados os famosos tubos. Isso só é possível onde há uma mudança muito drástica de um tipo de fundo para outro, o que pode ser caracterizado por exemplo quando a onda encontra um recife de coral ou um banco de areia no caminho. Nesse momento, a profundidade diminui tão repentinamente, que a onda quebra do nada e forma o tubo.

Em outras palavras, ao atingir a bancada rasa de coral ou o banco de areia, é como se a parte inferior da onda começasse a frear. Para conservar sua energia, a onda rapidamente começa a ganhar altura até que a parte superior comece a se deslocar mais rápido do que a parte inferior, fazendo com que a onda quebre.

O vento que contribui para a incidência dessa onda é o vento terral, aquele que vem da terra em direção ao mar, causando atrito diretamente na arrebentação. Esse vento bate de frente nas ondas segurando-as e fazendo com que elas fiquem em pé por mais tempo.


Tipos de onda pro surf e como elas se formam

Raquel Heckert


Resumidamente, se a profundidade diminui aos poucos, a onda quebra fraca e gorda. Se diminui bruscamente, ela cresce e quebra de repente formando o tubo. O ideal para a maioria dos surfistas é um estágio intermediário, formando a onda perfeita. E falando em vento, ainda tem o vento lateral, que corre paralelamente a praia e geralmente não ajuda e só atrapalha, deixando tudo uma bagunça.


_pra terminar, existem vários termos/gírias usados no surf pra generalizar e identificar vários tipos de ondas diferentes e cada uma delas. E pra você ficar por dentro, aqui vão elas:


Beach Breaks:

Também chamadas de ondas de fundo de areia. São aquelas que, como o próprio nome sugere, quebram na areia. Como a areia se move ao longo do tempo e de acordo com as correntes, podem haver variações no tamanho, velocidade, altura e local onde as ondas quebram (mais ou menos perto da costa). A maior parte das praias brasileiras são beach breaks. 

Essas são as mais indicadas para os iniciantes, pois são mais seguras em casos de quedas (melhor cair na areia do que em corais ou pedras né?). Normalmente são ondas mais lentas e de curta duração. Porém, mesmo que sejam melhores pela segurança, as beach breaks podem ter mudança de pico (lugar na praia onde as ondas quebram e é propício ao surf) muito frequentemente, pois o fundo de areia é mais vulnerável à variações, sendo difícil determinar onde as ondas quebrarão e qual o seu ponto de formação.


Reef Breaks:

As reef breaks ou ondas fundo de coral (reef = recife de coral, em inglês) são aquelas cujo fundo é composto de recifes e corais. As ondas são mais estáveis e previsíveis em comparação às beach breaks, já que o fundo não se altera com tanta facilidade. Em compensação, extremamente perigosas em casos de quedas, pois os corais podem ser afiados e traiçoeiros. Então, não são recomendadas para surfistas iniciantes. As ondas são mais rápidas e fortes, sendo indicadas para surfistas intermediários e experientes.


Point Breaks:

As ondas point breaks ou ondas fundo de pedras são aquelas formadas em fundo de pedra. Elas não possuem muitas variações em suas características, pois o fundo onde são formadas é estável, assim como as reef breaks. Também não são indicadas para iniciantes, pois as pedras do fundo podem ser perigosas em caso de quedas. Elas são as ondas mais populares para aperfeiçoar as habilidades, já que podem ser longas – algumas chegam a ser surfadas por 3km.


Crumbly:

É um tipo de onda que não é muito forte, ideal para quem está aprendendo a surfar. Isso se deve ao fato de não serem muito íngremes e nem muito rápidas. Mas também podem ser ótimas para os surfistas mais experientes, pois a face delas é ideal para praticar manobras e se aperfeiçoar.


Tipos de onda pro surf e como elas se formam

Luiza Coutinho


Green Waves:

Também chamadas de ondas verdes, são ondas que chegam à praia e não quebram, mas ainda sim é possível pegá-las. Basicamente essas ondas chegam à costa ainda com força o suficiente para continuar se propagando, mas que num fundo pouquíssimo inclinado, não há atrito o suficiente para que a crista perca o equilíbrio e quebre. Isso não quer dizer que sejam fáceis de pegar!


Rivermouth Waves:

É um tipo de onda que se forma quando um rio deposita areia em um banco de areia já formado. São raras, mas são ondas espetaculares. É possível observar essas ondas onde tem o encontro de um rio com o mar.


Tubing:

O popular tubo, é uma onda oca, e é uma das mais procuradas por surfistas. Quem já teve a oportunidade de surfar em uma delas sempre descreve como uma experiência incrível, estar rodeado pela água ao mesmo tempo em que continua se movendo pela onda. Para os iniciantes, o melhor é ficar longe delas. O ideal é continuar ganhando experiência em ondas mais fáceis para depois tentar a sorte em um tubo.


Reforms:

É um tipo de onda que não tem um formato constante, pois ela quebra e vai morrendo, daí passa por águas mais fundas e quebra novamente quando encontra o raso. Isso se dá exatamente pelas variações do fundo ao longo do caminho pelo qual a onda vai passando. Pode ser um banco de areia ou coral que fazem essa onda se juntar a próxima. É bem comum que os surfistas mais experientes surfem a primeira parte da onda e deixem a segunda parte para os menos experientes.


Closeouts:

As closeouts ou fechadeiras são aquelas que quebram de uma vez, e não aos poucos. Além disso elas criam uma grande quantidade de espuma ao quebrar. Por isso, ela não é um tipo de onda ideal para o surf. São ondas que não fazem a curva e elas não tem uma face aberta para o surf (elas não abrem). É importante reconhecê-la para evitar aquele caldo quase certo!


_ufa, muita informação! Mas o essencial você já sabe ;)


Deu pra ver que existem diferentes tipos de ondas sendo que algumas são mais perigosas e devem ser surfadas apenas por surfistas experientes, enquanto outras são ótimas oportunidades para iniciantes aprenderem a surfar ou começarem a treinar manobras. 

Lembre-se: é importante saber identificar cada uma delas, assim você sabe o que esperar e, principalmente, se é sua hora de enfrentá-la. Surfar é divertidíssimo e deve sempre ser feito com segurança!

E aí, me diz, qual sua onda preferida?


Beijos e boas ondas,

Cris


_

Escrito por: Críscia | @crisciacm

Leia também: Bases do surf: goofy x regular

Voltar
Feito por mulheres

Vem com a gente!

Quer ficar por dentro de tudo que acontece por aqui e ainda receber descontos exclusivos?